Feeds:
Posts
Comentários

el_grito1

Bem, não escrevo faz um tempinho, mas as coisas andaram meio corridas ultimamente. Vamos aos assuntos:

Em um dia eu estava vendo financiamentos de carros para finalmente comprar o meu tão sonhado carrinho, e no outro, a empresa onde eu trabalhava estava mandando todos os terceirizados (como eu) embora. Disseram que a seção onde eu trabalho iria ser extinta. Bem, fazer o que? 

Agora estou estudando para um concurso e esperando surgir uma vaga de estágio ou trabalho. 

Ter graduação em letras – japonês não serve realmente para nada, somente se você cometer um crime e pedir uma cela especial, ou para fazer os concorridíssimos concursos de nível superior com provas de inglês, que por sinal, o meu não é lá essas coisas, sem contar com a prova de títulos.

Enquanto eu espero um emprego (de preferência bem rapidinho) eu tenho mais um monte de matérias da segunda graduação que estou fazendo. Não, eu não fiquei esperta e entrei para o seleto grupo dos que cursam direito em Brasília e fazem concursos para ganhar 12 mil ao mês, eu burramente estou fazendo minha segunda licenciatura em letras – português, unffff…

Agora pouco estava fazendo minha matrícula online (obrigada Monstro do Espaguete Voador pela Internet e a evolução do sistema de matrícula da UNB) e se tudo de certo e os calouros não roubarem minhas matérias terei 16 créditos dos 64 que ainda tenho que a cursar, ou seja, aulas das 19 às 22:30 de segunda a quinta, porque estudar na sexta-feira ninguém merece, e ainda me sobram doces 48 créditos naquele inferno. Sem contar que nem sei se tenho ânimo para tudo isso. Mestrado agora, nem pensar.

De novidades boas? Bem nem sei se tem.

Ah, cortei o cabelo e troquei de óculos. Isso é bom? Nem sei, mas o calor do deserto chamado Brasília estava me matando e como eu tenho o calor concentrado na cabeça minha cunhadinha querida cortou minhas madeixas num corte acima do ombro que ficou legal. Os óculos, é porque a armação que eu comprei caríssima na ótica não durou nem 1 ano, então comprei uma armação na feira e coloquei somente as lentes na ótica, se é para comprar porcaria pelo menos que seja barato.

Trabalho Novo e Ano Novo

 

Pois é, enfim consegui um emprego ligado, mas meio que de longe, com a minha formação. O trabalho é bem legal, faço uma espécie de logística de pessoal, cuido das reservas, passagens, e o que mais necessitar para as viagens dos funcionários. Também fiquei responsável pela parte de correspondências (mas isso eu já fazia no meu emprego anterior). 

Foi quase que um presente de Natal/Aniversário. Em novembro por indicação de uma amiga eu enviei um currículo, em português, me pediram para mandar um em japonês, eu mandei, e logo em seguida fui chamada para fazer uma entrevista. Fui entrevistada e comecei a trabalhar na semana seguinte. 

Ainda estou em contrato de experiência até fevereiro, mas acho que tudo vai dar certo.

Então para o Ano Novo tenho a meta de estudar japonês, pois já faz uns 2 anos que não pego no livro. Espero também criar coragem e ir ver as coisas para o meu mestrado. Mas não vou fazer disso uma promessa de Ano Novo, pois essas a gente não cumpre mesmo.

E como 2009 está batendo a nossa porta, desejo a todos um próspero 2009 e que todos os desejos se realizem.

feliz-ano-novo

Feliz Ano Novo (em japonês) Akemashite Omedetou Gozaimasu

A minha mãe (Nancy), juntamente com a minha tia (Suzana), que todos acham que são irmãs gêmeas mas não são, abriram uma loja de produtos orientais, principalmente de origami, em Taguatinga (C 12, Bloco M, Loja 7 – fone 61 – 39634958). Elas fizeram guirlandas de natal lindas de origami, aí vão as fotos.

guirlanda-flores

Guirlanda feita pela mamãe.

guirlanda-rosas1

Guirlanda feita pela titia.

loja-mamae

 

 

 

 

 

 

 

 

Parte da loja.

loja-mamae-2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Parte da loja.

Elas, também ministram cursos de origami e quilling e fazem quadros e mobiles por encomenda, se alguém se interessar pode entrar em contato com elas pelos e-mails nancyyumiko@gmail.com, ou suzanashintaku@gmail.com.

Quanto tempo…

Faz tempo que não escrevo aqui. Vamos às novidades.

Fiz 5 anos de casada dia 1º/11/08, são bodas de madeira, estou muito feliz. Amo muito meu maridão.

Estou lendo um montão de livros de vampiros, tantos que até ando misturando os diferentes universos vampíricos, mas isso é assunto para outro post.

Sou uma péssima aluna de latim, as declinações não fazem sentido algum. Fiquei realmente feliz, pois esse semestre eu aprendi a transcrever fonética e fonologicamente as palavras, coisa que eu achei que nunquinha iria aprender, pois já fiz uma disciplina de fonética e fonologia no comecinho da minha vida UNBistica, e não tinha aprendido nada, agora sei que não era eu a idiota, a professora é que era ruim.

Fiz minha sobrancelha de henna, agora eu tenho sobrancelhas, e elas são até grossinhas, engraçado, pois a henna é passada somente sobre os pelinhos da minha própria sobrancelha, que eu sempre pensei que fossem finas demais, e na verdade eram claras demais. Pena que tenho que refazer pelo menos de 15 em 15 dias, em mim sai fácil, sorte que é minha tia que faz.

Descobri que tenho síndrome metabólica, produzo muita insulina o que retém gordura no meu corpo, por isso comecei um tratamento com uma medicação para diabéticos.

Isso também é a causa das minhas crises de labirintite sem motivo aparente, pois quando minha glicemia sobe provoca uma nova crise. Como meus exames não mostraram alterações muito drásticas (não tenho colesterol nem triglicérides altos) minha médica começou somente com a medicação mínima, para daqui a um mês regular a dosagem.

Bem que eu imaginava que deveria ter algum outro fator além de má alimentação para engordar tão fácil, pois não como coisas gordurosas, e a quantidade de doce que eu consumo é a mesma de sempre e antes eu não era gorda. As mudanças já estão aparecendo, a cintura está afinando e eu estou entrando nas minhas roupas antigas. Isso também é resultado da descoberta da minha intolerância a lactose, pois quando eu consumo derivados de leite, além de ficar com dor de barriga eu fico inchada. Então sem leite, sem inchaço.

Ainda estou à procura de um emprego e tenho em vista uma proposta, que, se realizar-se vai me fazer muito feliz.

Escrevo mais em alguns dias (espero), se o calor não me matar antes…

Um Semestre e Tanto

Enfim vou me formar. A sensação é ao mesmo tempo de superação e frustração. Superação por eu ter conseguido agüentar os diversos professores horríveis, superar as matérias surreais e a vontade de largar tudo e comprar uma bicicleta. É também frustrante terminar, pois vejo que muitas vezes dei o meu sangue e suor por uma causa quase que perdida. O que se faz hoje em dia com um diploma de graduação numa língua pouco reconhecida como o japonês, ainda por cima numa graduação em nível de licenciatura? Se alguém souber me diga, que eu não sei…

Ta certo que nada é em vão, conheci pessoas maravilhosas, verdadeiros mestres e amigos durante essa caminhada, terei um diploma, e poderei fazer concursos públicos de nível superior (é claro que em outra ou qualquer área), mas na minha área é realmente uma coisa quase impossível. Tanto que como pouca merda é bobagem, eu adoro sofrer, e brasileiro não desiste nunca, vou passar mais um ano e meio a dois na UnB, agüentando tudo aquilo que me dá vontade chorar só de pensar, para fazer agora letras português (nem quero pensar agora na parte gramatical), e me engajar definitivamente a entrar na classe de servidores mais mal paga do país, os professores. Pois professora de japonês eu já sou, mas veja se nos concursos do MEC tem vagas para professores licenciados em letras japonês…

Estou desempregada vai fazer um ano em outubro, nada aparece, e o desespero está batendo. Agora que estou com tempo para estudar para concursos não sai nada que não seja de cadastro de reserva, e puxa, eu quero emprego para agora, não daqui a um ano… E emprego por fora é mais difícil ainda, pois eu só trabalhei em uma empresa, como auxiliar administrativo, mas foram 5 anos de muita dedicação e um serviço de faz tudo e mais um pouco numa empresa que formatava projetos culturais para enquadramento em leis de incentivo à cultura, mas a empresa fechou e eu estou aqui…

Eu vejo tanta gente menos qualificada que eu com empregos ótimos e fico cada vez mais deprimida. Brasília nesses casos é uma merda mesmo. Pior é que agora sem rana nem dá para mudar de profissão rapidamente com um curso ou qualquer coisa do tipo. E sobre tempo para pensar bobagem.

Bem, vou pegar meu canudo dia 27/08/2008 às 20h no Cetro Comunitário da UnB. Quem quiser é só aparecer. Eu serei oficialmente uma professora de japonês. Só não sei ainda se isso é bom ou ruim.

Amor Incondicional

 

Em 24 de setembro de 2005 eu fui a uma feira de animais para adotar um gatinho. Estava pensando em pegar uma gatinha já castrada e pretinha. Mas cheguei tarde na feira e os gatinhos pretos tinham sido adotados, sobraram duas gatinhas, ambas de pelagem cor de escama de tartaruga (fundo preto com manchinhas de todas as cores do branco ao marrom), uma com uns 2 meses e outra com 40 dias.

Logo fui ver a mais velha, mas ela estava arranhando uma candidata a mamãe e então fui ver a outra.

Ao chegar vi uma manchinha preta ao lado de um cachorrinho branco dentro de uma gaiolinha. Cheguei perto e ela saiu sozinha pelo meio das grades da gaiolinha e eu peguei ela no colo.

Pronto, fui adotada. Ela ronronou, se aconchegou e me ganhou.

Não vou dizer que ela era bonita, pois não era mesmo, parecia um morceguinho de olhos verdes.

Isso foi no sábado, no domingo fui à casa da minha mãe, ao chegar em casa a gatinha estava muito quietinha, não comia e foi piorando. Umas 10 horas da noite eu desesperei e falei pro meu marido nos levar a um veterinário 24 horas, pois ela nem ficava em pé. Já fui chorando, me achando a pior mãe de gato do mundo, pois não tinha nem um dia que eu era mãe dela e a gatinha já estava doente…

A veterinária disse que ou medicava e ficava internada no soro ou fazia eutanásia, pois ela não ia agüentar. E eu chorando deixei ela lá. No dia seguinte liguei perguntando como ela estava e eles diziam que ela estava mal e tinha que ficar mais tempo internada. O preço da internação nesse hospital veterinário era exorbitante então liguei para outro veterinário e combinei a internação da gatinha com ele. Meu marido foi buscar a bichinha no hospital para levar a clínica, e surpresa, ao chegar ela estava ótima. Super danada escalando a roupa dele e andando pelo carro. Ao chegar na clínica veterinária o veterinário disse que ela estava bem, passou uma dieta mais reforçada pois ela ainda era bebê e mandou ela para casa. Ela que já não era bonita agora estava com as patinhas e o pescoço raspados parecia um ET, mas foi minha maior alegria ver aquela coisinha feia se enroscar no meu colo para dormir.

Hoje a Nami é uma gata cheia de manias e muito brincalhona. E modestamente é linda. Não troco por nada nesse mundo.

Ao ler o blog Gatoca soube que devolveram uma gatinha ao Adote um Gatinho porque ela era muito grudenta, fiquei pensando, que tipo de pessoas são essas que não amam esses animais, que tipo de coração mais duro é esse que não se deixa amolecer com um ronron e uma lambidinha. Tem que ser muito ruim, muito frio, terrivelmente desumano.

Se alguém que lê isso aqui for de São Paulo e quer uma gatinha grudenta e linda entre em contato com o Adote um Gatinho, procure pela gatinha Alice, mas lá tem muitos outros gatinhos queridos que precisam de um lar, é só querer.

A Rainha e Seu Trono

Sei que iria escrever uma vez por semana, mas ultimamente estou com uma virose e o banheiro é o meu melhor amigo, então não estou muito no clima. Fora os professores da UnB que acham que a gente não tem mais nada para fazer e pedem trabalhos de pesquisa, sem ao menos definirem um tema para o bendito. Arf, será que eu vou mesmo formar este semestre?