Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Nami’ Category

Amor Incondicional

 

Em 24 de setembro de 2005 eu fui a uma feira de animais para adotar um gatinho. Estava pensando em pegar uma gatinha já castrada e pretinha. Mas cheguei tarde na feira e os gatinhos pretos tinham sido adotados, sobraram duas gatinhas, ambas de pelagem cor de escama de tartaruga (fundo preto com manchinhas de todas as cores do branco ao marrom), uma com uns 2 meses e outra com 40 dias.

Logo fui ver a mais velha, mas ela estava arranhando uma candidata a mamãe e então fui ver a outra.

Ao chegar vi uma manchinha preta ao lado de um cachorrinho branco dentro de uma gaiolinha. Cheguei perto e ela saiu sozinha pelo meio das grades da gaiolinha e eu peguei ela no colo.

Pronto, fui adotada. Ela ronronou, se aconchegou e me ganhou.

Não vou dizer que ela era bonita, pois não era mesmo, parecia um morceguinho de olhos verdes.

Isso foi no sábado, no domingo fui à casa da minha mãe, ao chegar em casa a gatinha estava muito quietinha, não comia e foi piorando. Umas 10 horas da noite eu desesperei e falei pro meu marido nos levar a um veterinário 24 horas, pois ela nem ficava em pé. Já fui chorando, me achando a pior mãe de gato do mundo, pois não tinha nem um dia que eu era mãe dela e a gatinha já estava doente…

A veterinária disse que ou medicava e ficava internada no soro ou fazia eutanásia, pois ela não ia agüentar. E eu chorando deixei ela lá. No dia seguinte liguei perguntando como ela estava e eles diziam que ela estava mal e tinha que ficar mais tempo internada. O preço da internação nesse hospital veterinário era exorbitante então liguei para outro veterinário e combinei a internação da gatinha com ele. Meu marido foi buscar a bichinha no hospital para levar a clínica, e surpresa, ao chegar ela estava ótima. Super danada escalando a roupa dele e andando pelo carro. Ao chegar na clínica veterinária o veterinário disse que ela estava bem, passou uma dieta mais reforçada pois ela ainda era bebê e mandou ela para casa. Ela que já não era bonita agora estava com as patinhas e o pescoço raspados parecia um ET, mas foi minha maior alegria ver aquela coisinha feia se enroscar no meu colo para dormir.

Hoje a Nami é uma gata cheia de manias e muito brincalhona. E modestamente é linda. Não troco por nada nesse mundo.

Ao ler o blog Gatoca soube que devolveram uma gatinha ao Adote um Gatinho porque ela era muito grudenta, fiquei pensando, que tipo de pessoas são essas que não amam esses animais, que tipo de coração mais duro é esse que não se deixa amolecer com um ronron e uma lambidinha. Tem que ser muito ruim, muito frio, terrivelmente desumano.

Se alguém que lê isso aqui for de São Paulo e quer uma gatinha grudenta e linda entre em contato com o Adote um Gatinho, procure pela gatinha Alice, mas lá tem muitos outros gatinhos queridos que precisam de um lar, é só querer.

Read Full Post »